Bebês

Qual o papel do pão na alimentação complementar do bebê

Qual o papel do pão na alimentação complementar do bebê


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Quando a criança chega aos seis meses e inicia a alimentação complementar, os pais têm dúvidas sobre se devem introduzir pão, que tipo e em que quantidades. O pão desempenha um papel importante na alimentação complementar do bebê e então vamos contar tudo que pode contribuir para o seu filho.

O pão é um alimento que não deve faltar na alimentação básica das crianças, visto que se inicia a alimentação complementar porque é necessária ao bom desenvolvimento por diversos motivos:

- É uma excelente fonte de carboidratos, que contribuem para a manutenção da atividade muscular e a melhoria do sistema nervoso, proporcionando ao seu filho energia para as atividades diárias.

- Além disso, é rico em fibras, que apoia o seu sistema gastrointestinal, e em ácido fólico, que oferece proteção ao seu sistema cardiovascular, bem como outras vitaminas do complexo B, como vitamina B1 (tiamina), vitamina B2 (riboflavina), vitamina B3 (niacina) e vitamina B6 ( Piridoxina).

- Também iodo, zinco, cálcio, fósforo, magnésio e potássio, que fortalecem seu sistema imunológico. Principalmente os últimos, são encontrados em maior proporção nos pães integrais, pois se concentram no gérmen e no farelo de trigo, que se separam na produção da farinha branca.

- Além desses benefícios nutricionais, o consumo do pão ajuda a criança a desenvolver a musculatura do rosto e a fortalecer os dentes e mandíbulas, exercitando esses músculos durante a mastigação.

Para manter uma dieta balanceada, recomenda-se dar às crianças uma porção de 40 a 60 gramas de pão em cada refeição, sendo uma boa alternativa no preparo de sanduíches para lanches e lancheiras quando forem mais velhos, pois serão uma fonte de energia muito boa, necessária para o desempenho escolar.

Dada a variedade de pães que encontramos no mercado, devemos ter o cuidado de fazer uma boa escolha, pois, de acordo com os seus ingredientes, alguns podem ser mais benéficos que outros. Por exemplo, o pão de forma é mais saudável do que o pão fatiado (que já é fatiado para sanduíches), uma vez que Possui maior teor de gorduras e açúcares, às vezes também laticínios, ovos e conservantes.

Não é que não deva ser consumido, mas sim com sabedoria. O pão de trigo integral, devido à sua riqueza em fibras, é muito benéfico nos casos de constipação. Em qualquer caso, você deve se ajustar às preferências e necessidades da criança.

Mesmo sem dentes, você pode oferecer um pedaço de pão para o bebê chupar; quando entra em contato com a saliva, se dissolve gradualmente e é uma excelente maneira de aprender e praticar a mordida e a mastigação. É preferível a migalha ou a crosta? Só o miolo pode dificultar a mastigação da bola e só a côdea pode ficar muito dura, por isso é melhor dar-lhe um pedaço que contenha as duas partes do pão.

Existe o mito de que o pão engorda e, diante da temível obesidade infantil, muitas mães preferem restringir o consumo de pão aos filhos. Porém, é bom esclarecer que não é do pão que a criança engorda. É ter uma alimentação balanceada e atividade física adequada, para que não haja necessidade de privá-la dos benefícios nutricionais que ela traz.

Um pão básico contém farinha, água, fermento ou massa fermentada e sal. Preservando a saúde do seu corpo em formação, é preferível dar comida ao seu bebê sem adição de sal ou açúcar, principalmente no início de sua alimentação complementar. Lembremos que a recomendação de várias organizações pediátricas, como a Associação Espanhola de Pediatria, é restringir a ingestão adicional desses produtos em crianças menores de 2 anos porque seus rins são muito imaturos para lidar com a sobrecarga de sal.

Dificilmente você encontrará pão sem sal na padaria, a alternativa seria fazer você mesmo em casa. Aqui está uma receita simples:

- Ingredientes: 350 g de água, 25 g de fermento, 600 g de farinha

- Processo: Amasse os ingredientes e deixe repousar tapados, durante 45 minutos, num tabuleiro (onde pode espalhar azeite). Após esse tempo, ele terá crescido e é hora de amassar novamente por alguns minutos. Na bandeja que você vai levar ao forno, coloque papel manteiga e monte os pãezinhos do tamanho desejado, que você colocará neste papel. Asse por 20 - 30 minutos a 200ºC (dependendo do tamanho dos seus pães).

Você pode ler mais artigos semelhantes a Qual o papel do pão na alimentação complementar do bebê, na categoria Bebês no local.


Vídeo: WebPalestra: Abordagem Nutricional no paciente pediátrico com Fibrose Cística (Novembro 2022).